21 de mai de 2018

Conversa de café: A polêmica dos Thundercats da Cartoon Network

donnarita - srmarido - thundercats - cartoon network
Polêmicas...
Essa semana foi tomada por uma grande polêmica que foi capaz de mobilizar vários setores da sociedade brasileira. Não estamos falando de política, aumento do preço da gasolina ou algo do tipo. Muitas pessoas se incomodaram com a iniciativa da Cartoon Network em fazer uma nova versão para  os carismáticos felinos Thundercats. Por incrível que pareça, isso causou uma tremenda polêmica, abalou as estruturas da sociedade brasileira, abalando os valores da família tradicional.

Bom, para ser sincero eu não era muito fã dos ThunderCats. Tinha até um bonequinho ou outro do Lyon-O, mas não era um desenho que me apetecia muito. Os episódios eram todos muito parecidos e  me cansava sempre saber que Munrá estava por trás de todos os planos malévolos. Se bem que Munrá e seu cachorro múmia era o que tinha de mais legal naquele desenho. Nada mais me chamava a atenção.

Várias eram as coisas que odiava: Wili Kity e WiliKat, o chato do Snarf, e os diversos episódios que não levavam a lugar nenhum. Tudo isso fazia parte do pacote que me deixava meio puto com o desenho.

É lógico que a animação também tinha algumas coisas bem legais, que para ser sincero não me lembro muito bem. Talvez seja o efeito da nostalgia.

Nunca achei o desenho bom. Assistia sim, na época não era muito comum serviços como streaming, tvs à cabo ou até mesmo internet, Logo, eu virava refém daquilo que passava na televisão. Principalmente os desenhos do SBT.

donnarita - srmarido - thundercats - cartoon network

Esse é o poder da nostalgia. Às vezes eu creio que não gostava tanto dos desenhos daquela época, mas sim das horas livres sem grandes responsabilidades, sem boletos para pagar, sem grandes compromissos. Hoje sei que gostava mais da simplicidade daquela época. 

Que a exceção seja feita à Chaves, que é realmente muito bom até os dias de hoje. 

Em 2011 rolou uma tentativa de releitura dos Thunderats em forma de anime. Agora há uma nova tentativa de releitura. Digo que me parece interessante, talvez mais condizente com aquele mundo galhofa dos felinos do trovão. Talvez seja melhor do que a versão original.

Não sei, acho que não cabe à mim e à minha geração julgar. Deixa essa nova galerinha decidir se vale a pena ou não. 

Enquanto isso, eu sigo preocupado em pagar os meus boletos.

15 de mai de 2018

Como não jogar: Análise do fantástico mundo de God of War

Hoje é dia de jogar...
Nesse episódio do Cafeina acompanhe uma breve análise, e uma bela jornada pelo mundo de God Of War. Essa incrível terra de gigantes, batalhas épicas, artefatos lendários e anões sinistros.

Uma verdadeira obra de arte.

É só dar play e ser feliz.. 




7 de mai de 2018

Conversa de café: Vingadores, Guerra Infinita

Fui assistir a um filme de heróis e vi um filme de terror...

Nesse sábado tive uma das experiências mais frustrantes da minha vida...

Ir ao cinema assistira aos grandes blockbusters de heróis sempre foi um evento para mim. Até mesmo os filmes da Dc que nem são tão bons assim. Sempre envolveu um passeio de carro, uma ida ao shopping, boas comidas, boas bebidas e boas companhias. Uma experiência completa, e dessa vez envolveu até mais, a aquisição do tão querido "God of War", tão esperado. Ao final do dia, depois de um belo passeio e uma bela sessão de filme, poderia descansar em paz.

Mas, dessa vez foi diferente. Um personagem teve de estragar tudo.

Thanos, no auge de sua loucura e egoísmo, fez o que eu jamais poderia esperar. Eu até esperava uma ou duas perdas, mas o que estava por vir era muito maior.

Logo no inicio, uma perda que fez meu coração disparar. Ok, uma grande perda, mas ainda sim nada demais. Ao decorrer da sessão senti frio, pânico, tristeza. Um turbilhão de sentimentos se misturaram dando forma a um horror. Era para ser um filme de heróis, era para tudo acabar da melhor maneira possível, entretanto Thanos transformou esse no filme de heróis no mais sombrio de todos os tempos.

Muitos reclamaram do excesso de cores e piadinhas dos demais filmes. Nunca existiu um perigo tão real de perda de um personagem querido. Tudo foi por água abaixo. por um momento já não havia esperança em meu coração.

As cores sumiram, as piadinhas foram deixando de existir e deram espaço ao medo e as sombras. Senti uma aura de tristeza ao meu lado, um monstro se alimentando das ruínas de minha infância. Fui alfabetizado numa estranha mistura de hqs do Homem Aranha e turma da Mônica. Senti cada perda, afinal de contas foram dez anos de histórias contadas de personagens com os quais aprendi a me importar. Uma saga que atravessou fases da minha vida. Amadureci e acompanhei o amadurecimento daqueles personagens.

Terminei a sessão horrorizado, boquiaberto. Jantei remoendo possibilidades, indignado: um arco de heróis não poderia terminar daquela maneira. No entanto, fiquei feliz com o que foi entregue. Vingadores Guerra Infinita superou todas e quaisquer expectativas. Nem o mais pessimista de todos poderia esperar um filme tão sombrio, tão tenso e de certa forma tão estranhamente bonito.

Se eu tivesse os meus dez anos de idade teria certamente ficado traumatizado.

Maldito seja Thanos...



3 de mai de 2018

Rádio Cafeína 009| História do mundo: Uma breve história da humanidade


Queridos e queridas, o podcast da Rádio Cafeína está no ar.

Nesse episódio a Rádio Cafeína mergulha de cabeça na breve história da humanidade. Vamos papear sobre a origem do universo, a criação da Terra e esse pequeno animal complexo chamado ser humano ao delicioso som de David Bowie.

É só dar o play e ser feliz demais:


Ou se preferir, acompanhe pelo canal no youtube:


"...Mais amor, por favor"...

© Donna Rita - 2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Donna Rita.
Programado por: Seis Mil Milhas.