4 de jul de 2018

História do mundo: História das copas

donnarita - srmarido - historia da copa do mundo - futebol

Antes de ser criada a Copa do Mundo, a Fifa reconhecia o país da medalha de ouro de futebol nos jogos olímpicos como o campeão mundial. Numa conferência em Amsterdã, em 1928, o francês Jules Rimet anunciou que criaria um torneio à parte dando assim origem a Copa do Mundo. Pesou também o fato das Olimpíadas de 1932 serem realizadas nos EUA, país que na época não dava a mínima para o desporto bretão.

Futebol era uma modalidade exclusivamente olímpica, por isso a ideia de reunir os maiores futebolistas de um determinado país em uma competição para averiguar o melhor time do mundo.

Somou-se aí um "suposto" boicote dos americanos mais a vontade que já existia de realizar um torneio á parte. Esses foram os ingredientes fundamentais para o estabelecimento da primeira Copa.

Em 1929, em uma reunião em Barcelona, a Fifa optou pelo Uruguai como pais sede. Dois critérios foram evados em consideração para estabelecer o Uruguai como primeiro anfitrião: a celeste era a atual bicampeã olímpica (1924/1928), e 1930 seria o ano do centenário da independência do Uruguai.

donnarita - srmarido - historia da copa do mundo - futebol

A primeira Copa não contou com eliminatórias. Os treze países filiados à Fifa foram convidados para o evento. Itália, Espanha, Hungria, Alemanha, Suíça, Áustria, Inglaterra e Tchecoslováquia desistiram de participar do torneio. O fato do futebol ser um esporte amador (onde muitos jogadores tinham outras ocupações para complementar suas respectivas rendas) mais a viagem transatlântica (á época as delegações viajavam somente por navios) que era custosa e demorada demais, fatos que contribuíram para a desistência de alguns países.

Nessa copa de 1930 não houve mascotes, inventados somente em 1966. Apenas três estádios foram utilizados, dentre eles o Estádio Centenário construído especialmente para a Copa.

Dados da Copa: Uruguai sagrou-se o primeiro campeão batendo a Argentina por 4x2 na final. O argentino Guilhermo Stábille (El infiltrador) terminou o torneio como artilheiro com 8 gols.

O Brasil fez uma campanha decepcionante. Um dos motivos foi o fato de não contar com os seus melhores jogadores devido a um racha interno com a Federação Paulista. A seleção tupiniquim acabou amargando aí um mísero 6º lugar.

donnarita - srmarido - historia da copa do mundo - futebol

O torneio, infelizmente, deixou de ser realizado em 1942 e 1946. Esse hiato ocorreu devido à Segunda Guerra Mundial, que além de destruir a Europa deixou cerca de 50 milhões de mortos e outros 20 milhões de inválidos, aproximadamente. Diante de tamanha desgraça ficou inviabilizado a realização do torneio.

Mas, o futebol não deixou de rolar mesmo em período de guerras.

Em 9 de Agosto de 1942, em Kiev, atual território da Ucrânia, foi jogada a partida de futebol mais mortal da história. Ela aconteceu quando o território ucraniano foi ocupado pelo exército nazista. Na época, o FC Star (que tinha como base o Dinamo de Kiev) humilhou os alemães em campo. Os prisioneiros recusaram-se a fazer as saudações nazistas aos oficiais da SS, e ensacolaram os alemães durante a partida com uma goleada sonora de 5x3. Lembrando aqui que o juiz da partida era também um oficial do exército nazista.

A partida terminou com a vitória da resistência, porém os alemães reagiram sem piedade e mataram pelo menos quatro jogadores do FC Star.

O futebol foi utilizado como uma ferramente de resistência, luta contra o totalitarismo. O esporte, de maneira geral, tem esse poder. 

E ainda existe quem defenda que o futebol não tem nada a ver com o aspecto político e social. Uma pena.

donnarita - srmarido - historia da copa do mundo - futebol

Em 1950, a Copa do Mundo retornou e foi realizada no Brasil e o estádio do Maracanã foi construído para o evento. Aproximadamente 200 mil pessoas acompanharam o final da Copa de 1950 entre Brasil e Uruguai. A seleção brasileira acabou perdendo por 2x1 de virada no evento que ficou conhecido como Maracanaço, o pior episódio da história do futebol brasileiro até o fatídico 7x1.

O Brasil conseguiu levantar a taça Jules Rimet nas copas de 58, 62, 70, 94 e 2002. Ganhou ainda  direito de ficar com a taça de maneira definitiva graças ao tricampeonato mundial. entretanto a taça foi roubado. Coisas de Brasil.

Fica aqui uma menção honrosa à seleção de 82, liderada pelo querido Sócrates. uma seleção que brilhou, encantou, ativa politicamente, no entanto não conseguiu o objetivo de ganhar a Copa. Uma pena para a Copa do Mundo.

donnarita - srmarido - historia da copa do mundo - futebol

Curiosidades:

Maiores campeões mundiais: Brasil cinco vezes; Alemanha e Itália quatro vezes; Argentina e Uruguai duas vezes; Inglaterra, França e Espanha figuram com um título mundial.

Maiores artilheiros: Miroslav Klose (Alemanha) dezesseis gols; Ronaldo (Brasil) quinze gols; Gerd Muller (Alemanha) quatorze gols; e Just Fontaine (França) com treze gols.

OBS* Na Copa de 58, Just Fontaine marcou os seus 13 gols, e carrega o título de maior artilheiro de uma mesma edição de Copa do Mundo.

donnarita - srmarido - historia da copa do mundo - futebol

A Copa do Mundo passou pelas mais diversas transformações, mas continua sendo disputada fortemente até os dias atuais. Logicamente, escândalos de corrupção na Fifa acabam por diminuir um pouco o seu prestígio. A Fifa pede "fairplay" dentro do campo ao mesmo tempo que favorece a candidatura de países como Catar e Russia, dentre outros, que não respeitam as individualidades das pessoas. 

O futebol tem o tamanho suficiente para causar transformações e levar o mínimo de dignidade para lugares onde ainda existe ataques aos direitos humanos. Mas, por interesses políticos e econômicos, não o faz.

No entanto, como não se emocionar com o poder do futebol, com as figuras que participam dos espetáculos, com as torcidas, com todas as histórias contadas e que ainda estão por vir. 

donnarita - srmarido - historia da copa do mundo - futebol

Futebol é esporte de homens, mulheres e, mas do que nunca, um ato político.

22 de jun de 2018

Na sua estante: 12 mestres da literatura e seus drinks favoritos


donnarita - Na sua estante: 12 mestres da literatura e seus drinks favoritos
Ernest Hemingway aproveitando uma temporada em Cuba

O frio vai chegando e com ele aquela vontade de ficar em casa, acompanhado de um bom livro e de uma taça de vinho. Ou quem sabe, você prefira saborear outra bebida, como um Mojito ou talvez um copo de whisky. Se está em dúvida, uma dica é prestar atenção no autor do livro que você está lendo. Não entendeu? Nós explicamos. 

Não é de hoje que as bebidas alcoólicas e a literatura estão intrinsecamente ligadas. “Eu bebo para tornar as outras pessoas mais interessantes”, teria dito o escritor norte-americano Ernest Hemingway, vencedor do prêmio Nobel de Literatura. “O whisky é o melhor amigo do homem, ele é o cachorro engarrafado”, cravou Vinícius de Moraes, o eterno Poetinha brasileiro. 

Pensando nisso, reunimos aqui uma lista com 12 escritores e suas as bebidas favoritas. Confira o que alguns dos mestres da literatura gostavam de beber e inspire-se com estas receitas de drinks literárias.

       
Truman Capote: Hi-Fi (11,8% ABV)

Um dos expoentes do chamado New Journalism, o escritor Truman Capote ficou muito conhecido por seu romance Bonequinha de Luxo, que ganhou uma icônica versão cinematográfica protagonizada por Audrey Hepburn. Assíduo frequentador de festas e da boemia dos anos 1950 e 1960, Capote era fã de vodka com suco de laranja, o cultuado Hi-Fi.

Edna St-Vincent Millay: Rum Sidecar (9,5% ABV)

Vencedora do Prêmio Pullitzer de Poesia de 1923, a escritora e dramaturga Edna St-Vincent Millay viveu um estilo calcado na cultura e na boemia. Considerada uma das principais ativistas feministas da sua época, Millay tinha como bebida favorita o Rum Sidecar, drink que traz a mistura do fermentado cubano com licor de laranja e suco de limão. 

    Stephen King: Cerveja (3-10% ABV) 

Um dos mais aclamados escritores de terror de todos os tempos, Stephen King conquistou fama mundial com best-sellers que também deram origens a filmes históricos, como O Iluminado e Cemitério Maldito. Hoje abstêmio, King revelou que bebia cerveja nos velhos tempos e que preferia beber em casa do que ir a bares, porque eles estavam “cheios de idiotas como eu”, segundo palavras do próprio escritor.

Ernest Hemingway: Mojito (12,6% ABV)

Autor de romances lendários como O Velho e o Mar e Paris é Uma Festa, Ernest Hemingway era um grande entusiasta do Mojito. Reza a lenda que Hemingway teria popularizado o drink feito à base de rum e hortelã ao pedi-lo quase que diariamente no bar La Bodeguita Del Medio, em Havana, onde morou na década de 1950.

donnarita - Na sua estante: 12 mestres da literatura e seus drinks favoritos

Jack Kerouac: Margarita (15-20% ABV)

Um dos ícones da Geração Beat, o escritor Jack Kerouac gostava de várias bebidas, mas foi em suas viagens para o México - que inspiraram parte do livro On The Road - que o norte-americano consolidou sua paixão pelas Margaritas.

Charles Bukowski: Whisky (12,6% ABV) e Cerveja (3-10% ABV)

O escritor e poeta Charles Bukowski colocava a bebida como pano de fundo em praticamente todas as suas obras. Segundo fontes próximas ao autor, seu drink favorito era o Boilermaker, que consiste em intercalar whisky com cerveja.

    William Faulkner: Mint Julep (18-22% ABV) 

Com uma escrita refinada, que lhe rendeu o Prêmio Nobel de Literatura de 1949, William Faulkner também tinha estilo quando o assunto era bebida. Natural do Mississipi, o escritor não dispensava seu Mint Julep, bebida feita de hortelã, whiskey Bourbon e açúcar.

     Hunter S. Thompson: Bourbon (12,6% ABV) 

Conhecido por ser um dos criadores do Jornalismo Gonzo, Hunter S. Thompson foi uma das principais vozes da contracultura americana da década de 1960. Quando estava escrevendo (ou não), o escritor e jornalista era sempre visto bebendo whiskey do tipo Bourbon.

donnarita - Na sua estante: 12 mestres da literatura e seus drinks favoritos

    Lima Barreto: Cerveja (3-10% ABV) 

Representante brasileiro da lista, o cultuado Lima Barreto é um dos escritores mais celebrados da nossa literatura. Segundo conta a história, o autor de Triste Fim de Policarpo Quaresma também gostava mesmo de tomar cerveja, uma das bebidas mais populares no Brasil até hoje.

Edgar Allan Poe: Conhaque (10-12% ABV) 

Apontado como um dos principais nomes da literatura de horror e mistério, o lendário Edgar Allan Poe era fã de carteirinha de conhaque. Falecido aos 40 anos em circunstâncias misteriosas, Poe é celebrado até hoje por obras icônicas como A Queda da Casa de Usher e O Corvo.

     Charles Baudelaire e 12. Oscar Wilde: Absinto (45-74%) 

Além da imensa destreza com as palavras e do enorme e importantíssimo legado literário, o poeta francês e o dramaturgo irlandês tinham outra coisa em comum: seu drink preferido. Ambos adoravam o absinto, uma bebida com grau alcoólico bem alto.

Agora que você já conhece as bebidas alcoólicas e receitas de drinks favoritas de alguns dos principais escritores da história, que tal escolher a sua e mostrar que, além de um bom leitor, você também sabe beber com estilo? Um brinde à literatura!

***Escrito por Cecília Gibson***

19 de jun de 2018

Top 5: livros sobre o universo sobrenatural

Olá, olá, olá pessoas!


Hoje não tem texto! 
É isso mesmo, hoje não tem texto, hoje tem vídeo! 
Uma pequena lista de 5 livros que tratam de casos sobrenaturais registrados ou com algum indício de participação do casal mais famoso na pesquisa do sobrenatural: Ed e Lorraine Warren.

Você que já nos acompanha, sabe bem do nosso gosto pelo assunto e o Sr. Marido já escreveu diversas vezes sobre filmes, livros e canais que tratam do tema da paranormalidade. Se quiser ver, basta clicar AQUI.

Mas chega de letrinhas e vamos ao vídeo, dá o play! (e não esquece de assinar o canal e deixar seu joinha)




6 de jun de 2018

Download: Cartela de adesivos dia dos namorados

Freebie adesivos dia dos namorados

Oi pessoa linda do meu coração!

Dia dos namorados chegando e pra deixar sua organização/ decoração mais romântica, fiz essa cartela de adesivos cheia de amor pra você fazer o download e entrar no clima de dia dos namorados. E nem precisa ter crush viu, basta se amar que já tá bom e pode baixar também!

Estou disponibilizando o arquivo em dois formatos: em PDF e também como arquivo de corte para quem tem a Silhouette. Você pode imprimir em papel adesivo - melhor opção - ou pode imprimir em um papel branco de maior gramatura, recortar e colar.

Para baixar é fácil, basta entrar na loja Donna Rita (pode clicar aí no nome), ir até o rodapé do site e clicar sobre o menu "Conteúdo gratuito". Lá você vai encontrar os links para fazer o download dos dois formatos do arquivo, além de outros arquivos que já estão por lá.

Agora que você baixou, pode imprimir quantas vezes quiser. Decorar seu planner, cadernos, journals, happy mails, postar fotos nas suas redes sociais (usa a hashtag #freebiedonnarita e me faça feliz!) e enfeitar o mundo. Só não pode compartilhar o arquivo diretamente - passa o link do site para as amiguinhas fazerem o download - vender, editar ou enganar os coleguinhas...

Espero que você goste e aproveite, foi feito com muito amor!


© Donna Rita - 2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Donna Rita.
Programado por: Seis Mil Milhas.