29 de jun de 2016

A procura pelo desodorante ideal e resenha do Bi-O Odor block2

Acho que você já notou que eu não sou muito de falar de beleza e de produtos para tal por aqui. Isso acontece por eu não ser muito ligada em maquiagem, moda, cabelo... Eu sou uma mulher bem básica, me preocupo com o que acho necessário somente o necessário, o extraordinário é demais e acredito que isso ninguém quer ler, já que tem bastante informação útil (e inútil também) na blogosfera.

Mas existem exceções, principalmente quando estou buscando um produto que seja útil para todo mundo e que não tem como viver sem, caso dos desodorantes.
Eu tenho feito algumas tentativas de mudanças em meus hábitos e isso inclui o tipo de produtos que consumo. Tenho buscado ser mais sustentável, natural, bio-degradável, cruelty-free... enfim, buscando consumir de forma mais consciente. Mas confesso que não é nada fácil! Estou engatinhando nessas mudanças, com pouquíssimo sucesso (por motivo de: fica para outro post), mas continuarei tentando.

Voltando ao desodorante, eu tentei encontrar uma fórmula mais natural de combater o tão temido mau cheiro nas axilas - do qual ninguém está livre, já que este fedorzinho é resultado do trabalho das bactérias que adoram a produção de água, sais minerais, proteínas e aminoácidos das nossas glândulas sudoríparas - usando as misturinhas feitas em casa, no mais alto estilo Bela Gil, mas não funcionou para mim e também não encontrei nenhuma marca que trabalhe com produtos naturais que tivessem um desodorante eficaz. Antes que você pergunte, farei um adendo: não há nenhum motivo comprovado, não há estudos suficientes para corroborar as falas de que o alumínio e outros compostos dos desodorantes atuais possam causar doenças, como o câncer de mama e outros, este não é o motivo pelo qual desejo mudar, é mais por uma questão de estilo de vida mesmo, apesar de eu acreditar que acumular substâncias "estranhas" no corpo ao longo da vida não seja benéfico, mas por enquanto, ainda é papo de internet.

Retomando, já que não encontrei o que procurava, continuei usando a marca de desodorante que me acompanha desde sempre - é sério, desde os 11 anos de idade eu uso o mesmo desodorante - que comecei a usar porque eu era fã do time de vôlei que tinha o nome da marca!
Pesquisa vai, pesquisa vem, descobri que a Unilever, fabricante do meu desodorante da vida, testa em animais! Segundo a empresa, não testa aqui no Brasil, mas testar aqui ou em outro país não faz diferença para mim, testa! Fiquei órfã de desodorante... 

No final do mês de maio, apareceu uma solução parcial, mas eu tinha urgência e resolvi seguir em frente: o novo desodorante da Garnier o Bi-O Odor Block 2. Recebi através da The Insiders Brasil, um clube de testadores com o intuito de fazer o tão famoso e eficaz marketing boca a boca. Antes mesmo de começar a testar, já corri para o notebook para buscar mais informações sobre o fabricante, a L'Oreal. As informações que eu encontrei foram bem contraditórias, alguns sites (como ESTE) dizem que não há mais testes desde 2013, outros, incluem a Garnier na lista dos produtos non gratos... Ou seja, só fiquei mais confusa e mas mais uma vez - indo contra o que quero alcançar - decidi testar o desodorante mesmo assim, tentando manter minha cabecinha longe da culpa.
E posso dizer que me surpreendi. Depois de 22 anos usando a mesma marca (sou cliente fiel gente!!) descobri que é possível mudar quando se tem a oportunidade - valeu The Insiders! 

A principal promessa do desodorante é a dupla proteção que bloqueia o odor na pele e na roupa. Além disso tem extrato de moringa que é um anti bacteriano, mineralite absorvente para um toque seco e 48 horas de proteção.
Recebi dois frascos do tipo roll-on e compartilhei com minha irmã para que ela também pudesse dar seu parecer.
A embalagem é clean e pequena, ótima para levar na necessaire - apesar de eu não fazer isso, pois raramente tenho a necessidade de reaplicar o desodorante durante o dia. A aplicação, como todo roll- on, é simples e não causa sufocamento kkkkkkkk por isso não uso aerosol, mas demora um pouco para secar. Para mim isso não é problema, mas para minha irmã, acostumada com as versões em aerosol, foi um ponto negativo. 

Não testei no alto verão, então não tive momentos de suor intenso e não pude avaliar se o toque seco é real ou foi fruto do clima de outono-inverno, mas não me senti suada/ melada em nenhum momento. Dona Rebeca, minha irmã, disse que se sentiu com a "sensação de suor molhado" ao final do dia, que a deixou um pouco incomodada, mas ambas concordamos em um ponto: a principal promessa do produto de proteger axila e roupas do mau cheiro é eficaz. Não houve momentos de fedozim, mesmo com o suor. Também não tive aquela sensação de axila "tampada", como se tivesse uma camada grossa de produto por cima dos meus poros.

O perfume do Bi-O Odor Block 2 é bem forte para nossos narizes acostumados com os desodorantes sem fragrância. Não sei definir o cheiro, não é ruim, mas é daqueles que eu fico sentindo por um bom tempo depois de aplicado. Apesar disso, ele não atrapalha ou se sobressai quando usado junto com um hidratante ou perfume, mas se fosse sem cheiro, ia ter mais uma estrelinha na nossa avaliação.

Um ponto negativo que só eu notei e que me incomodou bem, é que ele mancha a roupa branca, deixando aquela bendita marca amarela, mas o anterior também manchava, então, elas por elas neste quesito.

Na avaliação geral é um produto que cumpre sua principal promessa de bloquear o mau cheiro na axila e na roupa. Minha nota é 8 e da Rebeca, 7.

No mais, enquanto não encontro o meu desodorante ideal - natural, cruelty-free, sem cheiro e que proteja a mim e minhas roupas do cheirim de cecê. - vou levando com o Bi-O Odor Block 2 da Garnier  e se você não tem tantas restrições quanto eu, com certeza vale a pena testá-lo também. Torça por mim!
Você já conhecia este produto? Deixe seu comentário me contando sua experiência, me dando dicas e também fale se gostou ou não deste tipo de texto, para que eu saiba se devo ou não escrever mais sobre minha opinião sobre os produtos que tenho testado.

Um beijito da tia!
 

13 de jun de 2016

Conversa de café - Invocação do Mal 2


Não contém spoilers...

Dois fatos ficaram marcados ao assistir a esse filme: Primeiro, criei uma nova definição para a expressão cagaço; Segundo, Silvio Santos é o grande propagador de spoliers da televisão brasileira.

Poucas são as franquias em que a sequência consegue ser ainda melhor que o primeiro, dá pra contar nos dedos quantas vezes isso ocorreu. "Invocação do Mal 2" é um do casos que rompem esse paradigma. Conseguiu mostrar algo novo, mesmo que a fórmula seja praticamente a mesma. Esqueça Annabelle, que até rendeu bons sustos, mas como filme deixou algumas coisas a desejar. O novo filme da franquia Invocação do Mal se mostrou bem mais completo, um filme maduro, completo por si só. Assim como é claro também o amadurecimento de um jovem chamado James Wan.

Já na franquia "Sobrenatural" Wan mostrou sua capacidade para fazer algo diferente dentro do gênero do horror. E sua evolução pôde ser observada no decorrer das sequências. O primeiro nem foi tão bom, o segundo foi bem médio e o terceiro foi sem dúvida o melhor dos três. Marcante, com doses certas de humor e horror.

Dentro dessa gradativa evolução Wan trouxe "Invocação do Mal", que na época nem liguei muito, sinceramente nem me lembro quais circunstâncias me levaram ao cinema, mas fiquei horrorizado. E isso é bom já que estamos falando de um filme de horror. Vi por diversas vezes, me impressionei em todas elas com Batsheeda, e mostrei para todos vieram até minha casa. Tenho até o blu ray e considero um dos meus favoritos. Fui surpreendido dentro de um gênero que já parecia bem desgastado.

Ai veio o spin off Anabelle. Confesso que já gostei bem mais desse filme, hoje sou obrigado a reconhecer que é bem fraquinho, cheio de furos no roteiro e com um final bem fecal para agradar a toda a família. Mesmo assim tenho uma consideração por ele. Sabe aquele desenho feio que o filho faz e o pai orgulhoso pendura na porta da geladeira? Anabelle me parece bem isso, uma obra meio feia, que rendeu alguns sustinhos até, no entanto o conjunto é bem fraquinho. Ficou bem abaixo da expectativa.

Aliás, prepare-se para um possível spin off do "Homem torto". Com certeza alguém vai ter a ideia de fazer um longa sobre, e com certeza vai ser de gosto duvidoso. Aguarde e confie.


Em um de minhas conversas com Donna Rita disse que esperava um filme bom, e ponto. Leia-se um filme que, usando a mesma fórmula de seu antecessor, ia trazer um perigo novo a ser combatido pelo casal Warren. Tudo bem que aborda um caso real novamente, o caso sobrenatural mais documentado de todos os tempos, mas sinceramente não achei grande coisa. Que bom que estava enganado. Acompanhei alguns vídeos ai pelo youtube, como por exemplo o Canal Assombrado, que trouxe muitas informações sobre o caso real: Conhecido como o Poltergeist de Enfield. Fica a dica, acompanhe o vídeo abaixo, é totalmente livre de spoilers, ao contrário das pegadinhas do Silvio Santos. Quem sabe assim ele te instiga a assistir ao filme.


O filme tem como cenário o pacato subúrbio de Enfield, Londres, em plena década de 70. O simpático país britânico encontrava-se em uma crise graças ao liberalismo selvagem de Margaret Thatcher, e com isso as classes menos favorecidas pagavam o preço. Toda esse instabilidade econômica e psicológica deram vasão para os acontecimentos paranormais da pobre família. Em suma: uma menininha se encontra atormentada por uma entidade, e o casal Warren é incumbido de certificar a autenticidade do caso para a Igreja. Isso mesmo, eles não investigam, simplesmente presenciam o caso.

"Invocação do Mal 2" trabalha também com a polêmica acerca do caso real. O poltergeist de Enfield ainda é um caso muito polêmico, assim como Amytville, e muitos contestam a legitimidade alegando que nada era mais do que pura traquinagem das crianças. O enredo trabalha muio bem essa ideia, e em uma sequencia de plot twists, o telespectador acaba não tendo certeza acerca do desfecho do enredo.

Outro ponto forte é a caracterização do elemento sobrenatural. Acredite em mim, Batsheeda assustou, mas não é nada perto da nova ameaça. Para se ter uma ideia, Donna Rita, pessoa dura do jeito que é, esboçou algumas lágrimas de nervosismo ao se deparar com o sobrenatural. Eu mesmo me peguei tendo cuidado ao olhar para o retrovisor no percurso de volta após a sessão do filme.


"Invocação do Mal 2" é um filme de horror excelente, quer você goste de sentir um "medinho" ou não. Superou seus antecessores em todos o quesitos, como já dito acima um filme completo por si só. De maneira muito sútil faz uma ligação ou outra com os filmes anteriores, nada grosseiro, nada que subestime a capacidade intelectual do telespectador.

Assista. E se divirta, ou não, com esse grande sucesso.


 Esse foi mais um post do Sr. Marido que escreveu e saiu correndo para bater três vezes na madeira.

Bjss e abraçoss...


11 de jun de 2016

5 dicas para um dia dos namorados solidário

Aqui no Brasil, o dia dos namorados é comemorado no dia 12 de junho e é tradição passar este dia com nosso par romântico, trocar presentes, cartões, mensagens, bombons, perfume, flores, ir ao cinema, almoçar, jantar... Enfim, qualquer coisa que possa ser feita a dois. A data foi escolhida por ser véspera do dia de Santo Antonio, que tem a fama de santo casamenteiro.

Em outros países, como nos EUA, por exemplo, a data é celebrada no dia 14 de fevereiro e não apenas entre casais, mas entre todas as pessoas que se amam e querem demonstrar este afeto.

Pensando nisso, pensei em trazer alternativas de afazeres diferentes para este dia dos namorados, que podem - e devem! - se estender para sempre que você e o/a "mozão" quiserem e que farão vocês elevarem o amor a um nível master!

- Campanha do Agasalho: Se junte com seu amor e dediquem uma hora deste dia para separarem aquelas roupas em bom estado que estão lá no fundo do guarda-roupas e vocês não utilizam mais e levem para um posto de coleta da campanha. (Este ano a campanha tem um curta metragem fofo: Mau Moleton. Se você ainda não viu, clique na imagem para assistir.) 
- Visitem um asilo: essa é uma atividade de partilha e aprendizado. Será uma oportunidade de refletir sobre o futuro, concentrar-se no presente e conhecer histórias de garra, superação e amor. Vocês ouvirão conselhos de quem aprendeu com o tempo e que, mesmo diante da adversidade, se diverte com uma boa conversa. O ideal é que a visita seja marcada com antecedência, pois as instituições têm dia e horários específicos para isso, mas corre, ainda dá tempo de tentar.

- Café compartilhado: Alguns estabelecimentos, e em São Paulo até barracas como a do Seu Neves , já praticam este sistema que consiste em deixar um café, ou uma refeição, paga para uma outra pessoa, desconhecida. Você pode curtir este momento gostoso a dois e ser gentil. 
- Doação de Sangue: este ano de 2016, o dia 12 cai em um domingo, então será mais difícil achar um hemocentro atendendo, mas guarde a dica para outra comemoração e ano que vem, coloque em prática no dia 12.

- Doe seus cupons: Eu já falei de como é possível fazer isso aqui neste texto, para quem é do estado de São Paulo e agora, o mesmo sistema de doação está disponível para o estado do Paraná. Cada estado tem suas formas para doar os cupons fiscais para instituições, procure como funciona no seu, mas basicamente é assim: você faz suas compras, almoça, vai ao cinema e os cupons fiscais em que o seu CPF não for registrado, podem ser doados as instituições de sua preferência.

- Adote um novo membro para a família: (Antes de falar desse tópico é preciso lembrar que adotar um bichinho é um ato de responsabilidade extrema, eles não são brinquedos e nem presentes que podem ser descartados, então só faça isso depois de ter certeza de que terão condições de cuidar e amar seu bichinho por muitos e muitos anos.) Toda casa é mais feliz quando se tem um bichinho de estimação e temos diversas ONG's que promovem feiras de adoção de seus resgatados. Eu digo por experiência própria: o amor de vocês será fortalecido com a escolha conjunta de um "filhinho" e divisão de cuidados com ele, vai por mim, já adotamos 4 filhos felinos!
Se não é o momento para uma decisão tão importante, não deixe de ajudar, escolham uma instituição e façam uma doação, ou ainda, apadrinhem um animal e ajude a custear a manutenção dessas entidades.
Eu poderia ficar um tempão listando ações solidárias para este dia dos namorados, mas acho que estas 5 já são ótimas sugestões para começar.

E você, qual boa ação vai fazer neste dia 12? Me conta que quero saber!

Beijitos
Blogs que também estão participando desta blogagem:
 

30 de mai de 2016

Sr. Marido Play: Broforce...

donna rita - sr marido play - broforce

Queridos e queridas... Chegou a hora de pegar em armas e detonar os malfeitores ao melhor estilo anos 80. Chegou a hora de falar de Broforce.

Esse é mais um joguinho despretensioso de bonequinhos pixelados que fez o maior sucesso. O outro é o tão controverso Minecraft, que sinceramente não me parece muita coisa. Broforce realizou o meu sonho desde quando ainda era pequenino: o de encarnar o papel de John Rambo, John Mclane entre outros. A essência do espírito brucutu oitentista que sempre me faltou.

Essa obra é um indie game produzido pela Free Lives em 2013 e traz uma história simples, assim como os filmes protagonizados pelos heróis.  A Broforce é uma força tarefa americana, uma unidade de elite, que viaja pelo mundo a fim de combater o terror representado na figura de um simpático diabinho de terno e gravata. Não descobri muito bem a trama. As missões não variam muito de tela para tela, mas nem tudo se resume a espancar o botão do controle a fim de matar todos os adversários. Algumas vezes é necessário sabedoria para salvar alguns prisioneiros, outras vezes simplesmente poder bruto para invadir um QG de criminosos atrás de armamentos. O resultado é sempre o  mesmo: Muito tiro, porrada e bomba.

No início o número de "bros" é limitado e não é possível escolher um personagem. Heróis adicionais serão liberados somente conforme você vai salvando os prisioneiros de guerra. "Bros" como Neo, de Matrix, Willian Wallace, de Coração Valente, e Conan são liberados de acordo com o número de resgates.
Como já foi dito antes, nem tudo se resolve somente na bala, ou na porrada dependendo do personagem. Alguns  inimigos são mais fortes e requerem um pouco mais de estratégia para serem vencidos. Aí cabe a você administrar muito bem seus personagens, lembrando que eles possuem características diferentes; Logo, você tem liberdade para criar estratégias diferentes. 

donna rita - sr marido play - broforce

As telas iniciais são uma mamata só, mas com o passar do tempo o desafio vai crescendo exponencialmente. 

A nostalgia está em todos os pontos do jogo. Desde a ambientação dos filmes oitentistas, passando pela música, por missões malucas que envolvem passagens pelo Vietnã. Até mesmo os gráficos 2D pixelados trazem um certo sentimento de nostalgia, principalmente para aqueles que passavam horas em frente aos "super nintendos" da vida.

O jogo é uma obra de arte para aqueles que se consideram "viúvas" dos grandes dos filmes de ação.

Seja você também um brucutu - não na vida real, por favor - e ajude os "bros".

E assim eu fico por aqui, deixando vocês por aí...



© Donna Rita - 2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Donna Rita.
Programado por: Seis Mil Milhas.