25 de mar. de 2019

Conversa de Café: Kingdom

donna rita - srmarido - conversa de café - netflix - kingdom

Uma das boas surpresas do catálogo Netflix desse inicio de 2019, Kingdom estava ai, chegou sorrateiramente e tomou o coração desse humilde amante degustador de filmes de zumbis que vos escreve.

Confesso que o que me chamou a atenção logo de cara foi o conceito. Zumbis de uma Coreia do século XV. Mais interessante ainda, os mortos vivos são apenas um pano de fundo da verdadeira trama. Um rei moribundo desperta o interesse do conselho em dar um golpe de ESTADO!!!!

E o melhor de tudo: são somente seis episódios. As histórias paralelas não tomam muito o tempo da trama principal. Ou seja, tudo ocorre no seu devido tempo, sem enrolações. Uma série feita para ser maratonada sem dó, nem piedade.

Tudo estava caminhando muito bem, mas só faltava romper uma barreira para começara desbravar o mundo fantástico da Coreia "feudal". Estou muito pouco acostumado com produções que não sejam os enlatados americanos. Até hoje ainda sofro para acompanhar o ritmo do Dark. Minha infância foi abalada por filmes de ação dos anos oitenta. Só fui ter contato com escolas diferentes de cinema na faculdade. Bons tempos.

Mas como já havia acompanhado o "Invasão Zumbi", longa sul coreano que passa por todos os gêneros possíveis mesmo sendo um filme de zumbi, varia desde o trash ao drama, terror, etc...Depois de um longo passeio pelo catálogo Netflix, sem achar nada interessante, comprei a ideia.

O primeiro episódio é um desafio, o mais lento de todos. A trama é iniciada acompanhando a história do príncipe prestes a ser vítima de um golpe de Estado. Se você é realmente uma pessoa sedenta por zumbis pode achar esse primeiro episódio um tanto arrastado. No entanto, vou te falar uma coisa: Os demais episódios compensam esse sacrifício.

Tem mortos vivos, luta de espadas, e uma fotografia espetacular. São várias as cenas que exploram a beleza do cenário. 

Entretanto nem tudo é maravilha, alguns pontos negativos podem ser apontados. Algumas tomadas de decisões parecem um tanto forçadas, uma espécie de canetada do roteirista, para ligarem alguns pontos. A maquiagem dos mortos vivos também me parece um pouca sofrida. E, ao final da temporada, muita coisa fica solta para um futuro. 

Kingdom sofre um pouquinho para embalar, sofre um tanto mais com algumas decisões no mínimo estranhas, no entanto termina muito bem. O ultimo episódio é muito bom e traz um belo gancho, um gostinho de quero mais, para uma futura temporada. Tá prometendo muito.

Em suma, Kingdom é uma série boa que acerta muito e erra e erra um tanto. E pela quantidade pequena de episódios acaba sendo uma boa pedida para aquele final de semana chuvoso, sem nada para fazer.

Pode dar o play sem medo de ser feliz...



Comentário(s) pelo Facebook:

Postar um comentário

Parece clichê, nós sabemos, mas é a mais pura verdade: seu comentário é muito importante para nós! Então não se reprima e diga o que você pensa! Caso queira ter uma conversa mais longa, fique a vontade para nos enviar um e-mail. O endereço é esse aqui donnarita.artesemimos@gmail.com E lembre-se: sinta-se em casa!

© Donna Rita - 2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Donna Rita.
Programado por: Seis Mil Milhas.