22 de jun de 2018

Na sua estante: 12 mestres da literatura e seus drinks favoritos


donnarita - Na sua estante: 12 mestres da literatura e seus drinks favoritos
Ernest Hemingway aproveitando uma temporada em Cuba

O frio vai chegando e com ele aquela vontade de ficar em casa, acompanhado de um bom livro e de uma taça de vinho. Ou quem sabe, você prefira saborear outra bebida, como um Mojito ou talvez um copo de whisky. Se está em dúvida, uma dica é prestar atenção no autor do livro que você está lendo. Não entendeu? Nós explicamos. 

Não é de hoje que as bebidas alcoólicas e a literatura estão intrinsecamente ligadas. “Eu bebo para tornar as outras pessoas mais interessantes”, teria dito o escritor norte-americano Ernest Hemingway, vencedor do prêmio Nobel de Literatura. “O whisky é o melhor amigo do homem, ele é o cachorro engarrafado”, cravou Vinícius de Moraes, o eterno Poetinha brasileiro. 

Pensando nisso, reunimos aqui uma lista com 12 escritores e suas as bebidas favoritas. Confira o que alguns dos mestres da literatura gostavam de beber e inspire-se com estas receitas de drinks literárias.

       
Truman Capote: Hi-Fi (11,8% ABV)

Um dos expoentes do chamado New Journalism, o escritor Truman Capote ficou muito conhecido por seu romance Bonequinha de Luxo, que ganhou uma icônica versão cinematográfica protagonizada por Audrey Hepburn. Assíduo frequentador de festas e da boemia dos anos 1950 e 1960, Capote era fã de vodka com suco de laranja, o cultuado Hi-Fi.

Edna St-Vincent Millay: Rum Sidecar (9,5% ABV)

Vencedora do Prêmio Pullitzer de Poesia de 1923, a escritora e dramaturga Edna St-Vincent Millay viveu um estilo calcado na cultura e na boemia. Considerada uma das principais ativistas feministas da sua época, Millay tinha como bebida favorita o Rum Sidecar, drink que traz a mistura do fermentado cubano com licor de laranja e suco de limão. 

    Stephen King: Cerveja (3-10% ABV) 

Um dos mais aclamados escritores de terror de todos os tempos, Stephen King conquistou fama mundial com best-sellers que também deram origens a filmes históricos, como O Iluminado e Cemitério Maldito. Hoje abstêmio, King revelou que bebia cerveja nos velhos tempos e que preferia beber em casa do que ir a bares, porque eles estavam “cheios de idiotas como eu”, segundo palavras do próprio escritor.

Ernest Hemingway: Mojito (12,6% ABV)

Autor de romances lendários como O Velho e o Mar e Paris é Uma Festa, Ernest Hemingway era um grande entusiasta do Mojito. Reza a lenda que Hemingway teria popularizado o drink feito à base de rum e hortelã ao pedi-lo quase que diariamente no bar La Bodeguita Del Medio, em Havana, onde morou na década de 1950.

donnarita - Na sua estante: 12 mestres da literatura e seus drinks favoritos

Jack Kerouac: Margarita (15-20% ABV)

Um dos ícones da Geração Beat, o escritor Jack Kerouac gostava de várias bebidas, mas foi em suas viagens para o México - que inspiraram parte do livro On The Road - que o norte-americano consolidou sua paixão pelas Margaritas.

Charles Bukowski: Whisky (12,6% ABV) e Cerveja (3-10% ABV)

O escritor e poeta Charles Bukowski colocava a bebida como pano de fundo em praticamente todas as suas obras. Segundo fontes próximas ao autor, seu drink favorito era o Boilermaker, que consiste em intercalar whisky com cerveja.

    William Faulkner: Mint Julep (18-22% ABV) 

Com uma escrita refinada, que lhe rendeu o Prêmio Nobel de Literatura de 1949, William Faulkner também tinha estilo quando o assunto era bebida. Natural do Mississipi, o escritor não dispensava seu Mint Julep, bebida feita de hortelã, whiskey Bourbon e açúcar.

     Hunter S. Thompson: Bourbon (12,6% ABV) 

Conhecido por ser um dos criadores do Jornalismo Gonzo, Hunter S. Thompson foi uma das principais vozes da contracultura americana da década de 1960. Quando estava escrevendo (ou não), o escritor e jornalista era sempre visto bebendo whiskey do tipo Bourbon.

donnarita - Na sua estante: 12 mestres da literatura e seus drinks favoritos

    Lima Barreto: Cerveja (3-10% ABV) 

Representante brasileiro da lista, o cultuado Lima Barreto é um dos escritores mais celebrados da nossa literatura. Segundo conta a história, o autor de Triste Fim de Policarpo Quaresma também gostava mesmo de tomar cerveja, uma das bebidas mais populares no Brasil até hoje.

Edgar Allan Poe: Conhaque (10-12% ABV) 

Apontado como um dos principais nomes da literatura de horror e mistério, o lendário Edgar Allan Poe era fã de carteirinha de conhaque. Falecido aos 40 anos em circunstâncias misteriosas, Poe é celebrado até hoje por obras icônicas como A Queda da Casa de Usher e O Corvo.

     Charles Baudelaire e 12. Oscar Wilde: Absinto (45-74%) 

Além da imensa destreza com as palavras e do enorme e importantíssimo legado literário, o poeta francês e o dramaturgo irlandês tinham outra coisa em comum: seu drink preferido. Ambos adoravam o absinto, uma bebida com grau alcoólico bem alto.

Agora que você já conhece as bebidas alcoólicas e receitas de drinks favoritas de alguns dos principais escritores da história, que tal escolher a sua e mostrar que, além de um bom leitor, você também sabe beber com estilo? Um brinde à literatura!

***Escrito por Cecília Gibson***

Comentário(s) pelo Facebook:

Um comentário:

  1. Oi Cecília
    Eu não sou muito de bebidas alcoólicas. Curto um vinho, mas é quase só isso mesmo. Prefiro um chá ou um cappuccino bem quentinhos hehe.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir

Parece clichê, nós sabemos, mas é a mais pura verdade: seu comentário é muito importante para nós! Então não se reprima e diga o que você pensa! Caso queira ter uma conversa mais longa, fique a vontade para nos enviar um e-mail. O endereço é esse aqui donnarita.artesemimos@gmail.com E lembre-se: sinta-se em casa!

© Donna Rita - 2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Donna Rita.
Programado por: Seis Mil Milhas.