31 de out de 2015

Na sua estante: Os mistérios do "O demonologista"

donna rita - na sua estante - o demonologista

Queridos amigos e amigas. Não aguentei....

Me rendi ao hype e decidi ler o tão famoso best-seller de Andrew Pyper. Muito também se deve a minha curiosidade em relação ao título. Apesar de ser bastante cético, confesso que o tema me exerce uma certa atração, isso pode ser refletido nas inúmeras vezes em que assisti ao exorcista. Eu sou aquele tipo de pessoa que não acredita, mas tem sempre um pezinho atrás em relação a certas coisas. Infelizmente, não tenho a mesma frieza do Padre Quevedo para lidar com o sobrenatural.

Filmes e seriados com o tema de possessão sempre me atraíram muito. Deve ser a sensação de medo que eles causam - eu gosto de sofrer alguns sustinhos, tenho problemas, eu sei -  alguns nem tanto. Mas livro eu nunca tinha lido até então...

Mas o que esperar dessa obra?

Uma breve olhadela pela sinopse já foi o suficiente para eu comprar a ideia do autor. Me rendi. Um professor universitário chamado David Ulman - especialista na figura do demônio em diversas culturas - se encontra em uma situação de merda onde toda a sua incredulidade é colocada em cheque. Um estudioso de religiões que é ateu - muito comum eu diria -  eu mesmo conheci vários durante minha estadia na faculdade, mas é um fato que pode ter pegado alguns leitores desprevenidos.

Aqui nesse ponto é possível estabelecer uma comparação entre as obras de Pyper e Dan Brown. David Ulman é uma versão mais desgraçada de Robert Langdon. Ambos são personagens acadêmicos que tem suas crenças abaladas no decorrer da narração e, ambos têm uma figura mística atrás do plano de fundo. A diferença é que Ulman é um pouco mais azarado, tomou um galho e perdeu a esposa, a filha foi sequestrada e a melhor amiga está para morrer de um câncer terminal.... Vida de merda...

Por isso o cidadão não pensou duas vezes em aceitar um emprego de um anônimo excêntrico, ainda mais em Veneza. Dinheiro fácil e ainda por cima passaria um tempo tranquilo com sua amada filha... Eu aceitaria a proposta por muito menos, diga-se de passagem.

Em Veneza, Ulman teve o seu primeiro encontro com o sobrenatural.

Sua tarefa era registrar um caso de possessão, e desde então o demônio colou em si como um carrapato "saltando" nas pessoas ao redor - meio parecido com aquele filme merda do Denzel "Possuídos", mas no livro a ideia ficou legal. Ao retornar ao apartamento, o demônio saltou em Tess - sua filha - e sequestrou-a, dando início a jornada do herói.

Daí para frente a aventura se desenrola numa narrativa frenética, uma corrida de gato e rato, onde a personagem se vê obrigada a percorrer milhares de quilômetros resolvendo inúmeros enigmas - baseados na obra do poeta John Milton sobre a figura de Lúcifer, sua especialidade -  para descobrir o paradeiro de sua filha sequestrada, ainda por cima sendo perseguido por um brutamontes misterioso. No melhor estilo Dan Brown.

donna rita - na sua estante - o demonologista

O que me incomodou profundamente é a narração no tempo presente. Acho que deve ser falta de costume, ou até mesmo implicância da minha parte, não estou acostumado com esse tipo de narração. Aqui a história é contada pelo próprio David Ulman, tudo é relatado através de suas perspectivas no momento em que elas ocorrem.

O que são aquelas malditas "aspas" no lugar onde deveria estar o travessão? Eu sei que é birra minha, e entendo que isso faz parte da arte da editora - Darkside -, mas um dia quem sabe eu me acostumo. Foi outro ponto estranhíssimo, mas de certa forma me fez quebrar alguns paradigmas.

A arte do livro é muito boa, e inclui até um posfácio sobre John Milton, interessante para completar a imersão da história. E algumas ilustrações de cunho "capirotístico" podem ser encontradas nos intervalos entre os capítulos. Tudo isso foi realmente muito bem feito.

Em suma....

O "Demonologista" é uma obra muito boa - acredito que não mais do que isso - traz um clima de tensão durante a narrativa, mas não foi capaz de me causar nenhum sustinho. Fiquei no máximo um pouco tenso em algumas passagens. A obra é muito imersiva, o que faz com que você mergulhe de cabeça naquele mundinho e termine rapidamente. Como eu disse anteriormente, o autor é bom em fazer você comprar a ideia do livro. Eu pelo menos, não consegui para até chegar ao fim do mistério.

Conta com uma arte fodástica muito bem trabalhada, e tá barato demais, nem trinta reais no Submarino. O custo benefício é muito grande grande.

OBS* Minha intenção não foi acusar o autor de plágio. Pyper tem muita influência de Dan Brown, isso é normal. Todos temos influências e inspirações, eu mesmo tenho várias. Por favor, sem "mimimis"...

Queridos amigos...

Esse foi o especial do "Halloween" ou do dia do "Saci", escolha o que for de sua preferência...

Um abraço, um aperto de mão e até a próxima...

Se você se interessou pela obra e pretende adquiri-la, clique aqui no link "O Demonologista", e nos ajude a comprar o leite do pobre Rockynho, ele merece...

donna rita - na sua estante - o demonologista


21 de out de 2015

Old mail: amigo caneca!!!


Final do ano está chegando mesmo!!! 
E eu tive esta certeza quando as meninas do Projeto Old Mail (que vou falar mais em breve pois estou devendo um post muito lindo sobre) vieram com a proposta de um amigo secreto muito brincadeira de final de ano que os presentes serão canecas.

Inicialmente eu não topei a brincadeira, pois não sei se vocês notaram, eu ando sumidinha do blog que está aos cuidados do Sr. Marido, então eu não sabia se conseguiria fazer a wishlist a tempo de participar... Mas como eu não consigo ficar de fora de um momento tão gostoso desses, onde eu tenho a oportunidade de me aproximar de pessoas lindas e espalhar amor por aí, eu topei! 

E agora, depois de entrar na dança, precisei fazer escolhas muito difíceis para montar essa wishlist. A loja escolhida é a Loucos por Canecas, que tem o nome super apropriado, já que eu fiquei louquinha por todas, quase que essa lista aqui não sai! Tem caneca para todos os gostos, sério. Olha minha lista e depois vai lá na loja conferir.

Amigo Caneca

Amigo Caneca

Como boa gateira, as primeiras escolhas foram essas lindezas com gatos!!!! ahhhhhhhhhhhhh  Olha só gente, tem até uma com tampa e colherzinha!!! Morri brilhando de tanto amor!

Amigo Caneca

Eu já sou uma senhorinha, então antes do Pequeno Príncipe ser moda, quando muita gente achava a história boba e fazia chacota, eu já era apaixonada pelas sutilezas e lições que o livro me trouxe e essa caneca me lembrou disso...
O Jack é um dos meus personagens favoritos junto com todos os outros deste tipo feitos pelo Tim Burton então essa caneca entrou pra lista.

Amigo Caneca

Que o brigadeiro nunca vós falte. Amém! Com caneca para come-lo de colher. Amém!
Eu sonho com um Mapa do Maroto e uma Capa de Invisibilidade desde o lançamento de Harry Potter e a Pedra Filosofal não necessariamente nesta ordem. Na hora que eu vi uma caneca "mágica" em que o mapa aparece quando você coloca algo quente na caneca, meu coração pueril saltou de alegria em meu peito!!! 

Amigo Caneca

E para encerrar a lista, a caneca que vi em quase todas as listas de desejos das participantes: caneca com tampa de panda! Não tem muito o que dizer né, é um panda e pandas são pandas... rsrsrs.
Já disse que sou uma senhorinha hoje? Então, como toda boa velhinha eu adoro coisas com ar de casa da vovó e essa caneca em formato de morango tem isso, lembra casa quentinha com cheiro de bolo...

Já deu né gente!?! kkkkkk Mas olha, tinha mais umas 5 que cabiam nesta lista...

Agora espero pelo sorteio e pela troca das belezinhas! E assim que chegar venho mostrar pra vocês.

Se você for brincar de amigo secreto e quiser me chamar, tô dentro, deixa a proposta aí nos comentários! #aloka

Beijitos!

19 de out de 2015

Donna Rita: O inflitrado no mundo dos capitalistas

Donna Rita: O inflitrado no mundo dos capitalistas...

"...Fred Melo Paiva podia ser um repórter convencional, mas escolheu outro ponto de vista. Para se infiltrar em universos estranhos, ele aceitou uma missão difícil: virar parte destes mundos, mesmo tendo que se transformar em outra pessoa. Nessa série do History, Fred é O Infiltrado..."

Descrição do programa segundo a própria History...

Bom dia/ Boa tarde/ Boa noite...
Estava de bobeira por esses dias com a Donna Rita - ela estava na procura da merda dos "Alienígenas do Passado" no History - quando nos deparamos com o "Infiltrado". Um programa onde Fred Melo Paiva infiltra-se nos diversos mundos para realizar as suas reportagens. São diversas críticas ácidas salpicadas com um pouco de humor.

E o episódio era sobre o mundo dos capitalistas e trazia os seguintes questionamentos: O que é vencer na vida? O que fazemos com o nosso tempo? Onde está a nosso Vidum (Liberdade)?

Eita, são perguntas muito safadas, e mais safado ainda seria respondê-las. Aliás não sei se é possível chegar a alguma reposta certa. Fred tenta chegar a algo que parece o esboço de uma resposta.
No programa, o Infiltrado tenta chocar duas realidades: o modo de estilo Vidum (libertário) contra o mundo selvagem do capitalismo. Entrevista figuras importantes de ambos os mundos, e tenta empreender um negócio para chegar a uma conclusão final.

A única conclusão em o programa chega é que o capitalismo cobra um preço muito alto. Em busca de dinheiro e sucesso acabamos por sacrificar algo que é muito valioso e que não retorna: Nosso próprio tempo. É uma pena vendermos de uma maneira muito barata, sempre em troca de comprar alguma outra coisa, e sempre ficamos nesse círculo vicioso, nessa armadilha. No capitalismo o dinheiro sempre retorna as grandes corporações, de uma maneira ou de outra. Por isso faço questão de apelidar o sistema de "Capetalismo". Um sistema que coloca um ser humano contra o outro.

O tempo que desperdiçamos, por necessidade, em nome do capital é algo que não retorna. Pense bem o seu tempo.

Assista a esse excelente programa clicando no link logo abaixo e tire as suas próprias conclusões...

O Infiltrado: No mundo dos capitalistas...

Um abraço, um bjo e um queijo. E mais Vidum para todos nós.

12 de out de 2015

Conversa de café: Dia das crianças com Jean Claude Van Damme

Conversa de café: Dia das crianças com Jean Claude Van Damme...

Perdi a conta de quantas vezes tentei dar voadoras no melhor estilo Jean Claude Van Damme, e não estou falando da minha infância... rrsr

Quando comecei a me reconhecer como gente lembro de ter assistido um filme chamado "Leão Branco" junto ao meu pai.  Lembro que o roteiro trazia a história de um jovem que abandonou a legião estrangeira na África para ajudar a família do irmão falecido. E o protagonista era ele: João Cláudio Van Damme. Foi uma paixão a primeira vista. Não resisti ao ver aquela voadora, o espacate com direito a um soco bem no meio do saco escrotal do inimigo, no melhor estilo Johnny Cage...

Era muito novo, não me recordo direito, mas acho que em algum momento do filme ele virou um lutador de rua. Tá aí, lembro de ter pensado, queria ser um lutador de rua. Infelizmente, minha capacidade física fez com que minha carreira no mundo da violência terminasse prematuramente. 

Qualquer um que conhece minha estampa há de concordar que fiz uma escolha muito correta e justa.

Conversa de café: Dia das crianças com Jean Claude Van Damme...

O segundo filme desse astro que marcou a minha infância foi "Duplo Impacto". Eita, como fui uma criança feliz. É muito efeito especial bom, cheguei a ficar confuso várias vezes com os efeitos. Foi o primeiro filme em que vi o Bolo Yeung como vilão, ele e seus mamilos saltitantes, assustador.

Van Damme não interpretou apenas um, tava fácil demais, mais dois personagens completamente distintos. Dois irmãos gêmeos que foram separados - não lembro muito bem o motivo, mas foda-se - na infância. Um era extremamente bondoso e instrutor de balé e o outro era um Tuff guy qualquer da máfia. Poucos são os atores de talento capazes de interpretar papéis tão opostos em uma mesma película. João Cláudio rumo ao oscar.

Foi nesse período que minha cabeça explodiu ao descobrir que meu ídolo tinha feito balé para auxiliar nas artes marciais. Como pode? Eram duas coisas totalmente antagônicas na minha cabeça. João Cláudio me ensinou a romper com meus preconceitos, me tornou uma pessoa melhor. Quantos atores fazem isso com seus fãs? Se fode aí Brad Piti e Angelina Joulie...rsrs

Conversa de café: Dia das crianças com Jean Claude Van Damme...

Foi então que tardiamente, em uma dessas sessões da band, assisti o que seria o precursor do MMA no mundo real e do Mortal Kombat no mundo dos games. Estou falando de "O Grande Dragão Branco". Nessa película ele demonstra todas as suas habilidades, inclusive a luta às cegas. Qual foi outro grande mestre da porrada que lutou cego? Ninguém, somente Van Damme fez isso, o cara tem que ser muito bom.

É muita testosterona e sabedoria, aprendi muita coisa com esse filme.

Ainda pequeno aprendi que o poder da amizade é capaz de nos dar força para superar qualquer desafio, e também que "tijolos não revidam". Grandes ensinamentos do mestre "Dragão Branco".

Esse filme rendeu também uma das paródias mais engraçadas da minha vida: "Hermes e Renato, O Grande Bundão Branco".


O Grande Dragão estava tão bem, causando inveja aos demais burucutus, que foi lançado ao inferno. "Hell" talvez seja o filme mais maduro do astro. Lembro de estar no ensino médio com meus amigos comentando sobre o filme da última segunda feira na famosa "Tela Quente". Nessa obra prima, Van Damme foi lançado em uma prisão Russa, as coisas já estavam fáceis demais aqui desses lados. E nesse filme, João Cláudio nos ensina que é possível mudar a nossa realidade, que não devemos nos calar diante das injustiças do sistema. E ele muda o rumo da vida daqueles pobres bastardos somente com o seu coração. Suas atitudes valeram mais do que seus punhos. Mais um grande ensinamento absorvido por mim

Vale mencionar também sua elegante barbicha. Eu mesmo demorei anos para cultivar uma parecida

Conversa de café: Dia das crianças com Jean Claude Van Damme...

Falando em visual diferente, se liga nos mullets que usou em "O Alvo". A pessoa tem de ser muito foda e ousada para usar um penteado desses e continuar colocando medo nas pessoas. Van Damme me ensinou que a beleza que importa é a do interior. Muito perspicaz.

Conversa de café: Dia das crianças com Jean Claude Van Damme...

Bom, se eu fosse falar dos valores que os filmes do Grande Dragão me passaram ficaria aqui até amanhã. E para não me alongar demais citarei um último filme: "Problemas de um dorminhoco". Para quem achava que ele era um mero astro de filmes de ação, o mestre brilhou nessa obra cult francesa. Quem vai me dizer agora que cinema francês não é foda? Já tinha meus vinte e tantos anos quando vi esse filme com os amigos da faculdade, talvez tenha sido o último mais impactante do grande mestre.

Nessa obra prima do cult francês, ele interpreta a voz da consciência de um sujeito um tanto perturbado. Engraçado demais, vale a pena assistir.... rrs

Bem, galera... Esse conversa de café era para ser sobre o "Exterminador do Futuro: Gênesis", mas não queria trazer nenhuma notícia ruim para vocês nesse dia tão especial.

Preferi falar das minhas memórias pueris e da importância desse astro na formação de meu caráter. Tiver a honra de amadurecer vibrando com os filmes do grande João Cláudio. Ainda fico um pouco chateado por vê-lo tão velhinho hoje em dia, mas talvez esse seja mais um ensinamento, talvez o maior de todos: "O tempo é implacável, mas as memórias são eternas...

Muito obrigado, Van Damme! E nesse dia tão especial minha criança interior agradece...
Um abraço, um bjo e um queijo...

Olha o espacate!!!


10 de out de 2015

Ateliê Donna Rita: Agendas 2016...


O final do ano está chegando e com ele vem a necessidade de se programar para o ano vindouro. E se tudo der certo, todos nós teremos muitos compromissos e realizações pela frente. E com grande satisfação, hoje, trazemos as agendas 2016. É hora de reservar uma para o papai, para a mamãe, para a titia, para todo mundo. Corre que está acabando.

Acompanhe o processo de confecção e apaixone-se por ele.




Depois de algum tempo, Sr.Marido e eu decidimos fazer um vídeo de divulgação de nossos produtos. Prometemos que não vai ser sempre, pra não ficar muito chato.

As agendas estão disponíveis na loja virtual, confira: 
http://www.lojadonnarita.com.br/agendas-2016-ct-894d7

Se precisar de mais informações, nos mande um e-mail: donnarita.artesemimos@gmail.com

Um abraço, um bjo e um queijo.... rrsr

© Donna Rita - 2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Donna Rita.
Programado por: Seis Mil Milhas.