18 de set de 2015

Conversa de café: "A entidade II". Por que faço isso comigo?


 Este post contem spoilers, para o seu próprio bem...

Tem dias em que me pergunto porque faço essas coisas comigo mesmo...

Essa semana estava um pouco tranquila e decidi levar a patroa ao cinema. Um cineminha às vezes pode ser uma boa pedida, mas nem sempre. Em uma rápida pesquisada pela internet vi que "A entidade II" estava em cartaz. Lembrei que tinha gostado muito do primeiro filme, aquele com o Ethan Hawke - ator de alta qualidade, diga-se de passagem.

No primeiro, Hawke interpretou um escritor que levou sua família para morar em uma casa onde houve um assassinato. Eu, particularmente, jamais faria isso. Mas, ele estava em busca de ideias para seu próximo romance policial. Tentava superar aquele famoso "bloqueio" criativo.

No decorrer do filme, o escritor e sua família encontram-se em meio a uma "treta" com uma divindade pagã da antiguidade. Muito parecida com Michael Jackson. Essa entidade obrigava as crianças a fazerem um pequeno "curta" matando seus familiares. Essas cenas foram extremamente assustadoras - principalmente a trilha sonora - de arrepiar os cabelos do ânus.

O filme teve de tudo, ação, susto, horror. E terminou de uma maneira que me pareceu, na época, não dar brecha para uma continuação. Todos os pontos foram fechados certinhos, um enredo bem redondinho.

Mas, o que o primeiro teve de bom o segundo teve de ruim. Infelizmente, torci muito para que fosse bom. Paguei R$7,50 e achei caro demais. Valeu somente pela pipoca.

Saudades do Ethan Hawke....

"A entidade II" trouxe James Ransone no papel do policial, o mesmo do filme anterior que auxilia Hawke nas investigações. Agora totalmente depressivo em uma missão de redenção pelo o que aconteceu no anterior. Até aí tudo bacana, interessante diria eu. Gostei desse ator, acho que foi a única coisa que pôde ser salva no filme. Não sei se você concorda, mas ele tem um estilo meio Bruce Campbell (Evil Dead).

Até aparecer a "família da vez" o filme parecia bom, mas daí pra frente é uma merda inacreditável.  Um roteiro onde nada funciona, todo remendado da pior maneira possível.

Nos momentos em que não dormi, acompanhei o "drama" - olha a merda, quem teve a ideia de jogar um drama no melhor estilo "casos de família" no meio do roteiro? Uma mãe que fugiu, com os filhos, de um marido agressivo e foi parar na casa onde ocorreram os assassinatos finais do filme anterior. 

Romance pra lá, romance pra cá, um pouco de porradaria e o capiroto, com um grupo de crianças fantasmas extremamente babaca, atentando os filhos da nobre camponesa que vai todo dia ao bosque recolher lenha. Acho que é possível resumir dessa maneira esse enredo fecal. Desculpe, mas devo ter perdido um pedaço da história entre um cochilo e outro.

Próximo ao final houve uma tentativa de "plot twist", bem pobre, em que você descobre que o garoto - candidato a assassino da família - na verdade é o outro irmão. Os espíritos estavam fazendo um "joguete". Mas foi feito de uma maneira que foi tão ruim, que tudo pareceu forçado, difícil de engolir. O irmão mais novo despirocou e decidiu que ia matar toda a família, sem mais nem menos. UI, quanta maldade. Nem os "curtas"  foram legais dessa vez.

No fim das contas, o único que morreu foi o pai das crianças - isso por que ele era mau. O bandidão teve de ser punido para a alegria do povão, aquele velho clichê. É chamar o telespectador de idiota.

Coloquei essa foto porque achei os dois meio parecidos. Talvez seja por isso que gostei de James Ransone
Bom, essa foi a postagem cheia de amargura de hoje e faça um bem para si mesmo: Não vá ao cinema para assistir essa porcaria. Fique em casa, procure o primeiro filme na NetFlix e seja feliz...

Esse foi mais um post do Sr.Marido que escreveu e saiu correndo preparar um misto quente bem gostoso...

Bjosss, abraços e aperto de mão....

Comentário(s) pelo Facebook:

2 comentários:

  1. Eu vi o primeiro esses dias na TV e fiquei contente em saber que o segundo é ruim antes de eu ver! Assim não gasto minha grana com porcaria e posso mandar mais cartas pra Rita, hohoho.
    Beijo procês dois!

    ResponderExcluir
  2. kkk... Não assistir a esse filme é uma decisão muito inteligente.. Em um dia solitário, frio, chuvoso, quando ele estiver disponível na netflix pode até ser bacaninha, do contrário é um desperdício... kkk

    Bjsss

    ResponderExcluir

Parece clichê, nós sabemos, mas é a mais pura verdade: seu comentário é muito importante para nós! Então não se reprima e diga o que você pensa! Caso queira ter uma conversa mais longa, fique a vontade para nos enviar um e-mail. O endereço é esse aqui donnarita.artesemimos@gmail.com E lembre-se: sinta-se em casa!

© Donna Rita - 2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Donna Rita.
Programado por: Seis Mil Milhas.