24 de jun de 2015

Conversa de café: Shutter Island/A ilha do medo e minhas impressões...

donna rita - conversa de café - shutter Island - a ilha do medo

Shutter Island e minhas impressões de merda acerca... 
Caro leitor...
Depois um bom tempo ostracismo - devido a bazares, fechamento de notas, término de bimestre, e algumas hora de Witcher III - resolvi aparecer novamente para fazer aquilo que mais gosto: escrever. E nada mais justo do que voltar a falar sobre filmes, por isso resolvi falar especialmente sobre um dos mais assistidos de todos os tempos aqui dessa casa. Demorou, mas chegou a hora de falar da Ilha do Medo...

O que faria se todos ao seu redor afirmassem que você é um louco? Muito provavelmente você se convenceria. É isso o que me  move a assistir esse filme várias e várias vezes, nunca me canso dessa porra.

O filme é uma adaptação feita por Martin Scorsese do livro "Paciente 67" de Dennis Lehane e conta a história do detetive Ted Daniels, encarregado de investigar o desaparecimento de um paciente do sanatório para criminosos doentes mentais de Ashecliffe. Até aí tudo bem, não parece ser nada demais...

donna rita - conversa de café - shutter Island - a ilha do medo...

Daí pra frente a trama só encorpa. Vem todo o mistério do paciente 67, a regra dos quatro, o mistério no antigo farol. Resumidamente, Ted Daniels é um paciente do instituto que passa por um tratamento novo e radical, tudo é encenado dando margem para a fantasia que havia criado: a de um bom policial que vai até o sanatório fechá-lo, pois lá acontecem vários experimentos dignos do mais sádico dos nazistas. Ao final ele descobre ser o próprio paciente 67, um dos muitos loucos exilados naquela ilha.

Obviamente a trama é muito mais complexa que essa breve síntese. Meu ponto não é esse. Resolvi escrever essa postagem para discutir uma outra possibilidade: e se ele realmente fosse um detetive encarregado de investigar os crimes da ilha que acabou sendo "enlouquecido" pelo local. "...It´s a trap..."

donna rita - conversa de café - shutter Island - a ilha do medo

Eu acredito piamente nessa possibilidade, mesmo depois de ter assistido diversas vezes. Entendo que Ted Daniels era um louco desde o início e há varias passagens do filme que colaboram para isso, mas a segunda possibilidade é bem provável...

Um agente federal veterano da segunda guerra que, traumatizado pelos incidentes do conflito, resolve investigar qualquer coisa que se assemelhe ao holocausto nazista - também é de conhecimento público que os hospitais psiquiátricos da primeira metade do século XX foram responsáveis por muitos experimentos, dignos de uma Alemanha nazista. De repente ele descobre que o responsável pelo assassinato de sua esposa se encontra em Ashecliffe, justamente no local em que ele colocou o seu alvo, seu objeto de investigação.

Ted Daniels perguntou demais, por isso elaboraram um plano maquiavélico para arrastá-lo até a ilha. E parte do plano consistia em deixá-lo insano, assim como fizeram com a doutora Rachel Solano...

Eu particularmente acredito muito nessa teoria, faz sentido e vem de encontro com o questionamento proposto logo no começo da postagem: O que faria se todos afirmassem que você é um louco?

donna rita - conversa de café - shutter Island - a ilha do medo

Essa foi minha perspectiva desse filme tão excelente que ainda vive em minha memória mesmo tendo assistido diversas vezes. Aliás, esse é o melhor tipo de filme, aquele que não termina nos créditos, mas continua persistindo por muito tempo na cabeça...

Esse foi mais um post do Sr. Marido que escreveu e saiu correndo para jogar Witcher III...
















Comentário(s) pelo Facebook:

2 comentários:

  1. Eu gostei muito desse filme (que mostra como o DiCaprio é bom ator também) e precisei rever algumas vezes para tirar conclusões. Acredito que sua tese, de que ele era realmente um policial e enlouqueceu bem fundada, também pensei nisso. Espero poder ler o livro e tirar algumas outras conclusões da história. Adorei o post!

    Beijos pra vocês!!!

    ResponderExcluir
  2. Olha... Pra falar a verdade fiquei com vontade de ler o livro também, quem sabe aparece uma pista nova ... rrsrsrs
    Bjsss

    ResponderExcluir

Parece clichê, nós sabemos, mas é a mais pura verdade: seu comentário é muito importante para nós! Então não se reprima e diga o que você pensa! Caso queira ter uma conversa mais longa, fique a vontade para nos enviar um e-mail. O endereço é esse aqui donnarita.artesemimos@gmail.com E lembre-se: sinta-se em casa!

© Donna Rita - 2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Donna Rita.
Programado por: Seis Mil Milhas.